sábado, 13 de dezembro de 2008

Presente para o ano inteiro

Uma amiga veio me visitar hoje - despedida de ano é assim, a gente fica com vontade de ver todos os amigos como se dissesse "obrigada pela amizade por mais esse ano, sinto saudade, gosto tanto de você que preciso te dar um abraço" (às vezes não dá, o que me faz sentir muito). Mas, a minha amiga chegou tão quebradinha, tão chateada com um problema, que o abraço foi mais de desabafo, para só depois, então, tornar-se abraço de alívio.

E eu fiquei pensando em todas as coisas pelas quais a vi passar, por quantas mais ela passará, por tudo que cada um de nós vive, tantas gotas todos os dias até virar mar transbordando, caindo em destino.
§
Como budista, destino é coisa estranha pra mim. Desde que Sakyamuni entendeu a vida ele fala sobre carma, lei de causa e efeito. O raio é que a gente logo pensa que carma é coisa sofrida, que merece ser paga com dor e sacrifício, assim como o destino é sempre uma fatalidade. Carma, na visão do Buda, é o conjunto de efeitos bons e maus, que tende a ser mais gordo de um lado ou de outro dependendo da dieta que se faz. Aqui, gotas boas, cultivadas por bons sentimentos e ações somadas, deságuam naquelas situações felizes não por milagre, mas por mérito. No Budismo, ser feliz não é uma possibilidade, é uma consequência.

Em meio a tanta confusão, corre daqui, esquece dali, dá um jeitinho acolá, é preciso atentar para a finalidade: por que mesmo estou fazendo isso? por que mesmo continuo assim? minha vida caminha para algum lugar ou eu estou apenas sendo empurrado? e quem é que está empurrando mesmo?

Somos selvagens bons, como disse Rousseau, mas a gente pouco lembra disso e se castiga, esquecendo que merece bons tempos, boas companhias, boas contas. Foi Rousseau quem disse também "o homem nasceu livre, e em todos os lugares está acorrentado".

Acho que tem uma hora na vida, e aí a gente aproveita o final de ano, em que é preciso pesar. Nessa época, a família ganha importância, os amigos, as luzes alegres, a esperança, porque é isso que nos traz ao princípio e enche o coração de saudade. Saudade de um tempo feliz de criança que ganha bicicleta no Natal, faz conta pra saber quanto tempo ainda falta para crescer e vai dormir com birra porque não quer perder tempo sonhando . Saudade da inocência e da novidade. Todo dia tinha.

Ao invés de transbordar de agonia e pressa, a gente bem que podia gotejar esse espírito revigorante de ano novo para o ano todo. E se encher de presente, e dar pra alguém também. Presente do coração é uma delícia. Uma d-e-l-í-c-i-a.

Acho que o que mais faz falta para ser feliz é perder o medo de. Mas, aí (ai ai ai) é assunto tão longo e profundo que é melhor terminar por aqui com uma música linda do John Lennon (ele é a cara dessa época, não é?), War is over (Happy Xmas).

Beijos a todos, saudades de quem eu não puder ver até o final de ano :)

So this is christmas
And what have you done
Another year over
And new one just begun

And so this is christmas
I hope you have fun
The near and the dear one
The older and the young

A very merry christmas
And a happy new year
Let's hope it's a good one
Without any fear

And so this is christmas
For weak and for strong
The rich and the poor one
The world is so wrong

And so happy christmas
For black and for white
For the yellow and red one
Let's stop all the fight

A very merry christmas
And a happy new year
Lets hope it's a good one
Without any fear

War is over - if you want it
War is over - if you want it
War is over - if you want it
War is over - if you want it

Nenhum comentário: