domingo, 17 de janeiro de 2010

Auto-ajuda


Ando meio confusa para escrever e com pouco tempo, mas não sem assunto. Estou abismada com a velocidade do tempo e, especialmente, com as catástrofes do mundo. Parece que a tragédia de Angra aconteceu somente há algumas semanas? Parece que foi há séculos diante todas as outras calamidades que vieram na sequência. Agora, o Haiti.

E eu conversava com uma amiga hoje sobre essa ajuda ao próximo e, correndo o risco de ir na contramão dessa comoção toda, eu disse a ela que é fácil socorrer o outro. Todos nós, de alguma forma, ajudamos alguém todos os dias. Acredito que a maioria de nós seja de natureza boa, por isso, quando a gente sorri pra alguém, ouve o problema de um amigo ou conhecido (e o brasileiro é campeão nisso), ajuda o menino no farol, etc, isso é ajuda. Ajudamos o tempo inteiro, sem nem mesmo nos darmos conta disso.

O difícil mesmo é a gente SE ajudar. Ouvir, aceitar, compreender a si mesmo com o mesmo coração aberto que a gente tem quando vê alguém sofrendo é uma missão quase impossível. E eu disse para minha querida Márcia: eu quero me ajudar, entender a utilidade que eu tenho para a minha vida. Sei que sou útil e necessária para algumas pessoas. Sei que minhas palavras e meu cuidado aliviam outras. Mas, e a mim? Será que não sou uma carrasca de mim mesma? Dura demais para perdoar meus erros, ou melhor, não lembrar-me deles? Aliás, aqui cabe um parêntese: perdão, pra mim, é uma palavra para arrogantes. A grande felicidade é não lembrar, pois "aquilo" perdeu toda a importância e sentido, ficou obsoleto.

Assim como a fé só pode ser praticada por quem entendeu que precisa exercitar-se diariamente para melhorar, a verdadeira auto-ajuda só pode ser exercida por quem sabe e entende que aceitar e amar a si mesmo é a única fonte de saúde, alegria e realização na vida. Até ajudar o próximo não realiza nem traz satisfação se antes a gente não tiver em si mesmo o melhor amigo para os nossos piores (e melhores) momentos. Olhar pra fora é bom, mas ENQUANTO a gente olha pra dentro, pra não se perder.

Beijos, boa semana :)


Um comentário:

Idiotizando disse...

Olá Acácia! Amei a sua reflexão sobre se ajudar. As vezes parece que ajudar aos outros, ser útil a alguém é mais fácil do que se ajudar e ser útil a nós mesmos!!! O mundo vive em tragédia. Mas a nossa percepção de nós mesmos as vezes também é trágica! rs. Obrigada por me acrescentar uma pitada de reflexão ao meu dia!!!
Espero a sua visita no "Idiotizando".
Bjs