terça-feira, 3 de março de 2009

Então...


Esse blog tem dado o que falar e eu acho graça demais nisso. Eu sei que ando em falta ultimamente, mas os motivos são justos. Hora dessas, o ritmo volta e eu, com certeza, ficarei mais feliz.

Para variar, hoje eu vou responder às perguntas que alguns amigos fizeram depois que textos foram publicados. Não dá pra responder tudo, mas selecionei uma porção começando pelos posts mais recentes e caminhando de volta a 2008.

No post "E vice-versa", uma amiga perguntou "por que vice-versa?" Simples demais: se uma mulher grandiosa ajuda a construir um homem grandioso, o inverso é potencialmente verdadeiro, né?

"Malu Magalhães who?" Gente, I'm sorry, essa menina é muito fraquinha! É tolinha, sabe? Adolescente abaixo da média, sem sal, sem açúcar. Já viram entrevista com ela???

Sobre o "barato" da corrida: só correndo para saber mesmo. Não é fácil sempre, nem delicioso começar algumas vezes. Mas, a sensação final é sempre fantástica. E o efeito no coração também.

Escrevi certa vez que algumas discussões não valem a pena e me perguntaram "qual discussão vale?" Fácil também: as que nos constrói, leva a um novo olhar e, principalmente, as que são conversadas. Quem grita está com o coração tão longe do outro que qualquer coisa que diga está distante de valer a pena.

"Não subtrair do outro em julgamento" é não acusar. Bom é olhar para si mesmo e perguntar onde é que está o erro.

Não, aquela casa azul não é minha, não. É uma casinha linda, a minha também é, mas aquela é do Google.

Teve gente impressionada porque eu disse que, nos últimos anos, um foi melhor do que o outro. É claro que isso não quer dizer que eu não tenha tido problemas ou enfrentado dificuldades, jacarés. Quer dizer, sim, que eu tirei proveito de todas elas. Melhorei. A vida ficou melhor por causa disso.

O post que mais "causou" foi aquele sobre os signos. Todo mundo gosta, incrível. E eu sou taurina, sim, senhor. Legitimamente taurina.

Uma pessoa me perguntou se eu sou apaixonada hoje do mesmo jeito desde o começo. Sim, sim, sim. O amor cresceu, amadureceu. Me amadureceu. Mas, a paixão é tão forte quanto antes.

Ai, ai, quando será o Rodablog. Caros, do jeito que as coisas estão, só depois do meu aniversário... que é em abril :)

Quando citei várias frases de Santo Agostinho, recebi um e-mail dizendo "mas, você não é budista?". Sou, mas isso não quer dizer que só budistas conheçam as verdades da vida, né? Ainda bem.

Depois do post "Nuvens de melancolia", vira e mexe alguém diz: cadê as nuvens de melancolia, nunca mais apareceram? Eu sorrio. Escrever é se expor mesmo. Não, povo, nunca mais apareceram. Eu sou uma pessoa predominantemente confiante, embora eu não ache que melancolia seja tristeza ou desesperança. É só um olhar parado mesmo.

Das frases que eu já citei, com certeza a mais forte foi: "Onde o amor impera, não há desejo de poder; e onde o poder predomina há falta de amor. Um é a sombra do outro." Jung, claro. Ok, Freud também é bom...

Nenhum comentário: