segunda-feira, 30 de março de 2009

A droga da verdade


Eu sou míope: -5,5 graus. Não é pouca coisa, não. Para vocês terem uma idéia, sem minhas lentes amigas, e a uma distância normal a qualquer olho com 100% de capacidade, eu não assisto tv, nem leio jornal, nem reconheço um rosto do outro lado da calçada. Meu desconforto virou óculos quando eu tinha 11 anos e era de apenas -0,75. De lá para cá, todo o esforço para enxergar virou uma audição fantástica (meus ouvidos são dois olhos extras) e uma sensibilidade para enxergar muito além da silhueta das coisas, físicas ou não. Incrível como a falta de visão aguça outros sentidos.

Por isso, acho estranho a tal "vista grossa", aquele estado em que as pessoas fingem que nada acontece, que tudo está a mil maravilhas, que um docinho como sobremesa resolve o amargo do prato quente. E eu fico bem brava quando alguém subestima minha capacidade de percepção, e tenta me enganar com rodeios super-bem-elaborados, bem-ditos, eloquentes!

Dois acontecimentos nos últimos três dias me abismaram: uma fulana do meu círculo profissional, por exemplo, ou é insana ou acredita que eu seja, porque mesmo imaginando que eu conheça a história das coisas, ela, ainda assim, se põe numa função de justa lamentação, como se vítima fosse das circunstâncias e das pessoas. Será que ela não sabe que esse nosso mundinho é pequeno, que as pessoas conversam, e que, eu, principalmente, sou adulta o suficiente para reconhecer uma mentirosa quando vejo uma? Ah, tá, melhor não usar "mentirosa", vamos ser delicados e dizer "fantasiadora".

Uma amiga usou esse termo para falar de uma outra sicrana que recentemente, "por pura fantasia", usou meu nome para fazer marketing pessoal (gente, tô podendo!). A tal até fabricou um e-mail como se fosse meu para dar mais veracidade à estória. Sinceramente, isso pra mim é doença, precisa de remédio e terapia. Alguém capaz disso é capaz de coisa muito mais grave, "sem maldade, claro".

Que todo mundo mente eu não questiono. Em maior ou menor grau, para se esquivar de um problema imediato ou se proteger tolamente, ou, ainda com a intenção de agradar ou se tornar querido ou "melhor", a gente mente. Não adianta dourar a pílula e chamar lorota de inverdade, esquecimento ou (essa é o máximo) "não estou mentindo, só escondendo para não magoar". Patranha, treta, bazófia, gabolice: tudo é mentira, enganação.

Outro dia, eu ouvi a meu respeito: "achei que você estava falando só o que eu queria ouvir". O incrível é que isso foi dito por quem me conhece mais do que a maioria. Levei um susto danado e só fiquei mais tranquila porque essa característica é de quem falava comigo e, portanto, aquilo era mais uma projeção do que um julgamento. Falar somente o que o outro quer ouvir, definitivamente, não é comigo. Prefiro ficar muda a elogiar alguém em quem não acredito ou inventar um blá-blá-blá só para ter assunto.

Com certeza minto, e pelos mais diversos motivos. Estranho dizer isso, mas é verdade (ops), mesmo que não consiga citar algo importante, só bobagens do tipo "infelizmente não posso, já tenho compromisso" ou "atrasei por causa do trânsito", "estava sem bateria no celular", "não recebi seu recado", "nossa, me confundi", "perdi a hora" e por aí vai. Como já dizia Oscar Wilde, "a verdade jamais é pura e raramente é simples", mas eu ainda concordo com Thomas Jefferson: "não há no mundo inteiro uma verdade existente que eu tema ou desejaria não saber". Não é?

O fato é que mesmo quem faz vista grossa sabe que não conseguirá essa façanha por muito mais tempo. O negócio é torcer para que a vista grossa não vire uma cegueira. Crônica. Um câncer irremediável.

Eu não enxergo bem, não, senhor, mas minha miopia está só nos olhos.

5 comentários:

Vanessa disse...

é mesmo, depois que se vicia na droga da verdade fica difícil aceitar qquer coisa.
mesmo assim fiquei chocada com tanta verdade :O
bjs

marcelo barabani disse...

criatura, td bem? nao sabia q vc era miope, o q sera q nao que ver... e a feira, ta bem?

Gabi Athayde disse...

Adoreiiiii!!!

Fiquei curiosa com a fofoca da moça se lamentando .. quem seria?? rs
COmo foi a Hair?

Bjs

Thais disse...

É minha flor, tem gente que faz da fantasia sua história real. Algumas pessoas cavam sua própria cova e tentam carregar pra dentro dela todas as pessoas de boa fé que estão ao redor.
O que é real tb é o tamanho da burrice e da cara de pau que algumas pessoas conseguem ter. Choramingar pra deus e o mundo é mto fácil, difícil é ter culhão de mudar a vida, de ser, no mínimo, um ser humano decente que não engana e que não rouba dinheiro e saúde mental de quem não tem.
Mas já sabemos há mto tempo que ri melhor quem ri por último e, principalmente, quem sorri honestamente.
Mtas vezes temos que ter ouvido de pinico e com certas pessoas, ouvido de rio Tietê.
Sinto mto por vc ter tido ouvido de rio Tietê esse fds. Eu sei exatamente como é.
Saudade de vc!
Grande beijo e, como sempre, adoro seu blog!
Thais.

Bianca Clark disse...

MUITO LEGAL. ELA SABE TUDO!