sábado, 15 de agosto de 2009

As tuas costas nuas


Trabalho feito, fui passear por outras bandas só para provocar meu coração romântico. E consegui.

Escrito por Andreia:

não nos víamos havia três dias. havia a tua falta em todas as partes do meu corpo.
depois do silêncio, chegaste. tinha planejado dizer-te que há noites em que penso que vou morrer sem ti. o escuro assusta-me, a claridade das persianas abertas também, o ruído dos carros, do comboio ao longe, quase do mar. imagino que andam por lá seres submarinos escondidos que vão entrar pela minha janela e arrancar-me desta felicidade dolorida. nas outras noites, quando sei que vais chegar, corro pela cidade, pela casa, abro e fecho o frigorífico, faço cinco jantares, não como nenhum, espero-te imóvel uma hora antes, a poupar o corpo para ti. olho apenas para todos os relógios da casa, as horas que não passam, os minutos lentos, um cão a ladrar lá fora, mas tu sem chegares. até que há uma porta que se abre, chegas. tu, o teu cheiro, a tua barba por fazer, palavras sussurradas, todos os meus planos invertidos, ridículos, as tuas costas nuas depois, o abraço e o sono a seguir. nem sei se fechamos a janela, amor.

(do http://www.masurcafogo.blogspot.com, uma salada de bons blogueiros)

Nenhum comentário: