terça-feira, 28 de julho de 2009

Danilo Gentili, Um post racista


Post do blog do Danilo, vale uma visita (tá gerando polêmica): http://danilogentili.zip.net/

"As pessoas que separam cachorros por raças fazem isso porque acreditam que uma raça vale mais que a outra. Eles acreditam mesmo nisso. Ganham dinheiro com isso. Movimentam um mercado. Dividir uma espécie por raças nada mais é do que racismo.

Sinceramente acredito que todo cachorro é cachorro e que toda pessoa é pessoa. E dentro disso não entendo como alguém que morde seu sapato, encoxa sua perna e caga no seu tapete pode ser considerado o melhor amigo do homem.

Se você me disser que é da raça negra preciso dizer que você tambem é racista, pois, assim como os criadores de cachorros, acredita que somos separados por raças. E se acredita nisso vai ter que confessar que uma raça é melhor ou pior que a outra. Pois se todas raças são iguais então a divisão por raça é estúpida e desnecessária. Pra que perder tempo separando algo se no fundo dá tudo no mesmo?

Quem propagou a idéia que "negro" é uma raça foram os escravistas. Eles usaram isso como desculpa para vender os pretos como escravos: "Podemos trata-los como animais, afinal eles são de uma outra raça que não é a nossa. Eles são da raça negra". Então quando vejo um cara dizendo que tem orgulho em ser da raça negra eu juro que nem me passa pela cabeça chama-lo de macaco. E sim de burro.

Falando em burro, cresci ouvindo que eu sou uma girafa. E também cresci chamando um dos meus melhores amigos de elefante. Já ouvi muita gente chamar loira caucasiana de burra, gay de viado e ruivo de salsicha, que nada mais é do que ser chamado de restos de porco e boi misturados.

Mas se alguém chama um preto de macaco é crucificado. E isso pra mim não faz sentido. Qual o preconceito com o macaco? Imagina no zoológico como o macaco não deve se sentir triste quando ouve os outros animais comentando:
- O macaco é o pior de todos. Quando um humano se xinga de burro ou elefante dão risada. Mas quando xingam de macaco vão presos. Ser macaco é uma coisa terrível. Graças a Deus não somos macacos.

Prefiro ser chamado de macaco do que de girafa. Peça para um cientista fazer um teste de Q.I. com uma girafa e com um macaco. Veja quem tira a maior nota.

Quando queremos muito ofender e atacar alguém, por motivos desconhecidos, não xingamos diretamente a pessoa e sim a mãe dela. Posso afirmar aqui então que Darwin foi o maior racista da história por dizer que eu vim do macaco?

Se o assunto é cor eu defendo a idéia que o mundo é uma caixa de lápis coloridos. Somos os lápis dessa caixa. Um lápis é menos lápis que o outro só porque a cor é diferente? Eu desenho desde criança, então acredite em mim: Não mesmo. Todas essas cores são de igual importância. Ok. Ok. Foi uma comparação idiota. Confesso. Os lápis são todos do mesmo tamanho na caixa. E no mundo real o lápis preto é bem maior que o amarelo.

Mas o que quero dizer é que na verdade não sei qual o problema em chamar um preto de preto. Esse é o nome da cor não é? Eu sou um ser humano da cor branca. O japonês da cor amarela. O índio da cor vermelha. O africano da cor preta. Se querem igualdade deveriam assumir o termo "preto" pois esse é o nome da cor. Não fica destoante isso: "Branco, Amarelo, Vermelho, Negro"?. O Darth Vader pra mim é negro. Mas o Bill Cosby, Richard Pryor e Eddie Murphy que inspiram meu trabalho não. Mas se gostam tanto assim do termo negro, ok, eu uso, não vejo problemas. No fim das contas é só uma palavra. E embora o dicionário seja um dos livros mais vendidos do mundo, penso que palavras não definem muitas coisas e sim atitudes.

Digo isso porque a patrulha do politicamente correto é tão imbecil e superficial que tenho absoluta certeza que serei censurado se um dia escutarem eu dizer: "E aí seu PRETO, senta aqui e toma uma comigo!". Porém, se eu usar o tom correto e a postura certa ao dizer "Desculpe meu querido, mas já que é um afro-descendente é melhor evitar sentar aqui. Mas eu arrumo uma outra mesa muito mais bonita pra você!" sei que receberei elogios dessas mesmas pessoas, afinal eu usei os termos politicamentes corretos e não a palavra "preto" ou "macaco", que são palavras tão horríveis.

Os politicamentes corretos acham que são como o Superman, o cara dotado de dons superiores, que vai defender os fracos, oprimidos e impotentes. E acredite. Isso é racismo, pois transmite a idéia de superioridade que essas pessoas sentem de si em relação aos seus "defendidos".

Agora peço que não sejam racistas comigo por favor. Nao é só porque eu sou branco que eu escravizei um preto. Eu juro que nunca fiz nada parecido com isso nem mesmo em pensamento. Não tenham esse preconceito comigo. Na verdade sou ítalo-descente. Italianos não escravizaram africanos no Brasil. Vieram pra cá e assim como os pretos trabalharam na lavoura. A diferença é que Escrava Isaura fez mais sucesso que Terra Nostra.

Ok. O que acabei de dizer foi uma piada de mal gosto porque eu não disse nela como os pretos sofreram mais que os italianos. Ok. Eu sei que os negros sofreram mais que qualquer raça no Brasil. Foram chicoteados. Torturados. Foi algo tão desumano que só um ser humano seria capaz de fazer igual. Brancos caçaram negros como animais. Mas também os compraram de outros negros. Sim. Ser dono de escravo nunca foi privilégio caucasiano e sim da sociedade dominante. Na África, uma tribo vencedora escravizava a outra e as vendia para os brancos sujos.

Lembra que eu disse que era ítalo-descendente? Então. Os italianos podem nunca terem escravizados os pretos, mas os romanos escravizaram os judeus. E eles já se vingaram de mim com juros e correção monetária, pois já fui escravo durante anos de um carnê das Casas Bahia.

Se é engraçado piada de gay e gordo, porque não é a de preto? Porque foram escravos no passado hoje são café-com-leite no mundo do humor? É isso? Eu posso fazer a piada com gay só porque seus ancestrais nunca foram escravos? Pense bem, talvez o gay na infância também tenha sofrido abusos de alguém mais velho com o chicote.

Se você acha que vai impor respeito me obrigando a usar o termo "negro" ou "afro-descendente", tudo bem, eu posso fazer isso só pra agradar. Na minha cabeça você será apenas preto e eu branco, da mesma raça, a raça humana. E você nunca me verá por aí com uma camiseta escrita "100% humano", pois não tenho orgulho nenhum de ser dessa raça que discute coisas idiotas de uma forma superficial e discrimina o próprio irmão.

OBS: Antes que diga `Não devemos fazer piadas com negros, nem com gordos, nem com gays, nem com ninguém` Te digo: `Pode colocar meu nome aí nas páginas brancas da sua lista negra, mas te acho chato pra caralho`."

2 comentários:

vocefazobrasil.com disse...

kkkk....você é comediante também? deixei uma mensagem pra ele que vale pra todos com esse mesmo tipo de pensamento.
kkkk..o que um homem com 29anos e muito tempo livre é capaz..ou melhor,incapaz...kkkk de compreende que tudo isso que escreveu é mais uma prova do racismo que existe em nosso país,afinal não existe discussão se não houver racismo.Agora usar de argumentação,as loiras,os gay ...partindo de um comediante que usa as loiras como palito de dente e os gays com vaso sanitário em suas piadas para entreter um público igualmente irônico, me soa como piada mesmo...e pra mostrar o seu devaneio cômico...pra ofender não é preciso por mãe no meio, se tiver a capacidade argumentativa e um intelecto maior do que um macaco,mas se esse não é seu caso já não está aqui quem falou... até pq pode ser uma ofensa para o macaco....kkkkkkkkkkkk

Augusto Branco disse...

Concordo em praticamente tudo no ponto de vista de Danilo.
A distinção de raças entre seres humanos precisa mesmo ser evitada, pois não gera bons frutos.

Concordo também que é muito difícil fazer humor sem ser politicamente incorreto (isto é arte para mentes extremamente brilhantes, ultra inteligentes, um grau em que o senhor Danilo talvez chegue um dia).

Concordo que o humor que diverte a grande maioria das pessoas, ávidas por sorrir em seus instintos mais primitivos - como rir da desgraça dos outros, por exemplo - enfim, o humor que faz rir geralmente é politicamente incorreto e é do que as pessoas gostam, por que realmente querem extravasar quando riem.

O humor, enfim, tem muito haver com ridicularizar. Ridicularizar a si, aos outros, às situações. E como ridicularizar sem ofender alguém? Difícil. Por isso quem assiste o humorista deve ter discernimento para compreender que aquilo nada mais é que humor, ora. Afinal, Danilo não é tão arrogante, não é tão estúpido,não é tão pseudo intelectual, nem tão pseudo humorista quanto parece. Para exercer sua arte, usa os recursos que tem, e tem excelentes resultados. Imagine, então, se ele fosse um bom humorista? Ou se fosse um grande erudito? Mudaria o mundo! Tal como quase consegue inverter conceitos.

Não, um PRETO não pode querer ser visto como pertencente a uma raça diferente, por que não o é. Um PRETO pode ser tão IDIOTA quanto o Danilo, por exemplo. Assim como o Danilo pode ser tão sábio quanto Gandhi ou Martin Luther King. Um homem não se distingue por sua cor, mas por suas atitudes, por seus pensamentos, e por seu caráter.

E, nisto, falta ao senhor Danilo talvez um pouco de CONSCIÊNCIA.
Talvez se ele não fosse um ítalo-descendente, e sim um PRETO, e não estivesse falando todo tipo de "humor" em rede nacional, mas na fila dos desempregados, engrossando a fila de miseráveis, morrendo por falta de dinheiro pra comprar remédio, adoecendo por que simplesmente sente fome, sendo discriminado, ultrajado e humilhado em vários e vários aspectos por conta de sua cor, enfim, se ele não fosse um ítalo-descendente, mas um PRETO que pena ainda hoje as conseqüências de ter sido tratado como animal por (ora, por que não dizer?) BRANCOS, talvez o senhor Danilo entendesse melhor a amargura que sentem estas pessoas quando uma pessoa que nunca sofreu nem o mínimo de discriminação a humilha simplesmente por que tem extrema necessidade de ganhar dinheiro fazendo "humor".

Sim, os BRANCOS e todos os demais seres humanos, idiotas ou não, enfrentam problemas neste mundo. A atitude de tentar corrigir erros do passado privilegiando a população de PRETOS pode ser um equívoco, pois gera todo tipo de pensamento berrante, e até atitudes desastrosas. Entretanto, esse pode ser um mal necessário, desde que nos leve a um tempo em que tais privilégios sejam desnecessários não por que “evoluímos” intelectualmente, mas por que prosperamos socialmente. A igualdade é um pensamento. A miséria e suas mazelas são um fato. Um PRETO sofre, um Danilo ítalo-descendente ri. E pode rir! Mas é sempre bom compreender aqueles que são vítimas de suas palavras – eles não ficam indignados sem motivo.