quarta-feira, 1 de julho de 2009

Ah, tá...


Duas amigas queridíssimas resolveram, essa semana, explodir meu coração: desde segunda-feira tenho sido bombardeada com afirmações a meu respeito capazes de fazer estremecer minhas estruturas.

É engraçado como a gente não tem noção de como é percebido, especialmente por algumas pessoas. E é mais impressionante ainda como certas amizades podem ser tão sinceras. Adoro isso. Adoro mesmo. Quem foi que inventou que mulheres não são amigas de outras mulheres? Pura inveja... :)

Bom, o fato é que, conversando com a minha xará de sobrenome (é, eu também sou Tavares) sobre o tal instinto maternal, ela, com a maior naturalidade desse mundo, me disse: "você tem muito! É amiga, acolhedora, preocupada, cuidadosa, sempre cumprindo a função de orientar, fazer enxergar de outra forma". Ah, fala sério, né??? Eu nem imaginava isso...

Aí, para tentar equacionar a conversa, à noite, comendo pizza e tomando vinho com a Rose, mencionei essa prosa, esperando mesmo ouvir um outro lado qualquer. Não é que ela corroborou com tudo e muito mais? A moça falou tanto que quase chorei. Foi um bálsamo ouvir, no mesmo dia, duas amigas tão distintas falando de qualidades que eu desconhecia sobre mim mesma. Aliás, sou campeã em não enxergar um bocado de coisa. Sou míope, né? Por isso é sempre bom quando alguém querido se sente confortável em me contar o que pensa.

A história é comprida, fichas interessandíssimas caíram e me emocionei demais com alguns lugares que clareei. Mas, isso é assunto para dividir a dois, sorry. O que vale dizer é que poucas vezes, em apenas três dias, eu experimentei tamanho amadurecimento, tamanho carinho. E não foi pelos elogios, foi por todo o resto.

Obrigada, meninas. Vocês tem sido mais do que especiais na minha vida.

2 comentários:

Eduardo Favarão disse...

Lei do universo... efeito boomerang...

Hildete Barros disse...

Oi Cacinha, aqui vai mais uma enchida de bola.Vc realmente dá um certo conforto pra gente c/ suas palavras, q/ muitas vezes parecem ser de muitas experiências vividas por vc, sinto-me bastante confortável qdo ouço vc. coisas da vida né? Beijos, Mãe.