segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Surpresa na barriga


Minha querida amiga Lucília me contou hoje que está grávida. Feliz da vida, coisa mais fofa desse mundo! E, ainda por cima, ficou feliz por mim: temos a mesma idade, se ela engravidou, eu também posso (olha a lógica da criatura... rs).

Mas, mais do que achar graça no raciocínio dela e no quão fartamente ela ficou feliz por essa possibilidade que se abre para "nós", eu fiquei emocionada por aquela barriga. Eu conheço a Lu há alguns anos, ela já namorava há um tempão, aí casou e queria muito esse filho. É tão mais feliz quando é assim.

Durante as minhas férias, eu conheci algumas histórias tristes de mulheres que vão cedendo seu corpo à vontade (ou descaso) de homens que, literalmente, deitam e rolam naquela vida. Conheci uma menina de 24 anos, mãe do segundo filho, de pai diferente do primeiro. Fiquei sabendo de outra que está no 3º, cada um de um pai. E uma delas ainda me perguntou porquê é que eu não tinha tido filhos ainda.

Eu sei que fui sincera demais na resposta, mas, francamente, com todo respeito ao meu passado, meu corpo não é balde de experiências, não. Filho, pra mim, é coisa séria DEMAIS para ser produzido por desejos aquém do puro amor de gerar uma vida. Além do mais, nunca tive, nem tenho, a menor vocação para criar um filho sozinha.

Vivi um casamento que poderia ter durado a vida toda se não fosse minha busca por uma vida de amor de verdade. Só amizade, só fraternidade, comodismo ou medo de encarar a vida não me mantém num relacionamento. O que eu preciso mesmo é de amor, paixão, amizade, carinho, tudo junto. Ter um filho, só mesmo do homem por quem eu carrego tudo isso. Não que eu não tenha tido gente importante na vida, só acho que no fundo eu sabia que "ele" não havia chegado.

Por isso, eu fico abismada quando vejo mulheres tendo filhos de homens que dizem não admirar, nem respeitar, que dirá amar! Essas mulheres tentam garantir o vínculo, acham que um filho faz tudo mudar, ou, simplesmente, não respeitam o único lugar verdadeiramente delas: o corpo, templo por onde se respira, anda, sente, vive. Não merecia mais cuidado?

É assim que histórias como as da minha querida Lu aquecem meu coração. Ainda tem muita gente que se cuida e planeja, ama e deseja procriar, escolhe a hora "certa" (ok, sobre "hora certa" a gente fala depois). O mais bonito de tudo é ver os olhos dela, brilhantes, radiando existência, feliz feliz. Como escreveu Maitê, ela anda "com futuro no olhar".

Parabéns, minha querida, quero ver esse barrigão crescendo e você virando coruja :)

"Quem nesse mundo faz o que há para durar
Pura semente, dura o futuro amor
Eu sou a chuva prá você secar
Pelo zunido das suas asas você me falou
...
O que você está dizendo?
O que você está fazendo?
Um relicário imenso desse amor."

(Nando Reis)


3 comentários:

Marcela Fortes disse...

rs essa surpresa na barriga foi dez! rsrsrss beijos

Maurício de Souza disse...

só posso comentar com palmas... clap clap clap clap clap clap clap...

Me inspiram muito suas ideias... e se esses valores acontecem em mim e você fico feliz, pois certamente acontece em mais pessoas!

Paulo Tamburro disse...

É INCRÍVEL COMO NA INTERNET, A GENTE AINDA ENCONTRA TEXTOS SINGELOS E GRADÁVEIS, NO MEIO DESTA BAGUNÇA TODA.VOLTAREI SEMPRE!