quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Escolhas X desistências



Na sexta-feira passada eu fiz duas escolhas. Quem as julgasse puramente de fora, sem me conhecer, juraria que eu estava desistindo de coisas importantes. Mas não foi isso, não.

Não gosto do verbo desistir, acho que sempre soa como covardia ou preguiça. Não que eu seja o símbolo da coragem ou da disposição, mas, francamente, convenhamos, desistência é sinônimo de renúncia, coisa melo-cristã demais para uma budista acostumada a extrair de si o que quer da vida.

Mas voltando às escolhas de sexta-feira, uma foi profissional e outra foi pessoal. A profissional surgiu do desejo de assumir mais ainda o nome da minha empresa. É dela minha motivação, portanto, será dela meu desempenho exclusivo. Pensando assim e, juntando a isso as limitações que eu vinha carregando, a escolha ficou fácil: foi trocar 6 por 2 dúzias.

A escolha pessoal foi mais fácil ainda, se pensando no resultado a médio (que dirá a longo prazo). Pesei um conjunto de poucas coisas e a decisão veio redonda: pronto, caminho escolhido, ombros mais relaxados e sono tranquilo.

Não acredito em ônus mais pesado do que bônus. Quando isso acontece, é bom parar para analisar, cuidar de ouvir o coração e os sinais da vida. Se deixar passar tempo demais, é bem capaz que a coluna arqueie e o corpo adoeça, sem dó nem piedade. É da alma que nascem o câncer, a febre, o derrame. Pegando mais leve, no mínimo, a vida infeliz traz cortisol em excesso e envelhece a pele que deveria brilhar.

Pensando na minha tranquilidade e paz de espírito, valeu a pena ter dispensado o que parecia alguma boa oportunidade naquelas quinta e sexta. Essa semana, anti-véspera do Natal e quase Ano Novo, fiz meus planos para 2010. Sucesso, paz, amor e união.

Tim-tim.

2 comentários:

Nivaldo Salgado disse...

Que em 2010 você tenha o que planejou............

Sucesso, paz, amor e união.

.stardust disse...

Postei um comentário aqui: http://acacialima.blogspot.com/2009/11/tomorrow-never-knows.html