quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Divina jóia


Quando iniciei esse blog, há quase 1 ano e meio, quando ele ganhou o nome de Gema em Lapidação (e foi até outro dia, né?) eu criei um box dedicado ao luxo. Por muitos meses, durante todo o início do Gema, meus maiores e mais frequentes luxos foram o tempo e o silêncio.

Ainda gosto do silêncio, mas agora chamaria de "ausência de barulho", ausência de ruído, principalmente o interno, aquela coisinha chata que fica nhem-nhem-nhem o tempo inteiro.

Quanto ao tempo... bom, esse ainda é meu grande luxo, meu maior desejo, meu sonho de consumo eterno. É muito triste e frustrante não ter esse bem para desfrutar com quem se ama, para descobrir sensações, para dançar junto, cozinhar, compartilhar, dormir. Descobrir. Redescobrir. Ter tempo para se apaixonar, para se entregar, desarmar-se, sorrir. Tempo para a vida, para não se arrepender, tempo para construir, tempo para ter tempo.

E o bonito do tempo, que todo mundo sabe e disse brilhantemente Victor Hugo, é que "o tempo não só cura, mas também reconcilia". Não é mesmo divino?

Nenhum comentário: