sexta-feira, 11 de junho de 2010

Além do seu quadrado


Há tempos venho me perguntando o que é o entendimento humano. A gente pensa, pensa, pensa, mas entende alguma coisa? Talvez a gente chegue num vago raciocínio quando junta 2 e 2 e, aí, acredita que compreendeu, que sabe, tem certeza de tudo.

Quanto mais o tempo passa (e ele é bem hábil em passar rápido), eu percebo que podemos, sim, enxergar um pouco da vida, mas sempre a respeito de nós mesmos. Assumir definições esteriotipadas é tarefa capciosa demais para quem pretende carregar consigo alguma verdade sobre todas as coisas.

A gente escuta uma história, mas os ouvidos estão ouvindo só a parte que precisa para satisfazer uma necessidade qualquer. Nossos olhos estão ali, vidrados numa pessoa, vendo todos os gestos e linguagem corporal dela, mas o que captamos é exatamente aquilo que precisamos para usar como desculpa ou argumento depois. É exatamente sobre esse ponto que fico bem confusa: seria isso egoísmo? Ou seria deficiência? Apenas falta de uma visão mais abrangente? Ou incapacidade de enxergar fora do seu quadrado?

A mente humana sempre me intrigou. O coração, que é de fato nossa melhor parte, está sempre manchado com nossos medos, intrigas, interpretações erradas ou simplesmente vazio. Ambientes familiares são sempre o maior centro de todas as raízes e nele aprendemos quase tudo. Por isso, nenhuma escola ou ambiente de trabalho pode ser responsável pela mudança de um indivíduo. É dentro de si e dentro de casa, daí para fora, daí para as pessoas, daí para tentar contaminar para o bem qualquer outra relação.

Quem sabe assim, limpando um pouco do olhar de perto, a gente não consegue expandir a compreensão e, ao invés de limitar-se a "entender" somente o que convém, a gente não parte pra entender mais além?

Sair do quadrado, sair do pocinho, sair do limite. Todo ser humano pode. É o que nos diferencia daqueles bichinhos que a gente costuma usar para experiência ou para nos servir de afeto.

Um comentário:

Tahiana Andrade disse...

Entender a mente humana é, de fato, uma questão praticamente impossível. Mesmo eu, como psicóloga, ainda não consegui entender todas as coisas que controem nossos pensamentos, sentimentos e comportamentos!
É, tem coisas que nem Freu explica!

Ah... amei o novo template. O layout ficou mais moderninho!

Beijoooos