sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Qual é a sua idade?

Existe um tempo para cada coisa na vida. Ouvir isso quando criança é muito frustrante e continua sendo quando a gente cresce. Não queremos saber de esperar ou de desapegar: queremos tudo exatamente no momento em que, no auge do mimo, batemos o pé para conseguir. Mas assim como pai e mãe sabem a melhor hora para o filho dormir, comer ou estudar, a vida continua fazendo esse papel conosco até que, enfim, a gente aprenda a tomar conta de si.

Enquanto muitos envelhecem (e essa é a palavra mesmo, pois apenas somam anos à vida), muito poucos amadurecem e aí está a grande diferença entre resignar-se e compreender. Compreender é verbo de adulto. Durante o dia nos relacionamos com crianças de 35, adolescentes de 40, meninas e meninos de cabelos brancos e tempo suficiente vivido para ter aprendido a mudar a vida, evoluir.

Enquanto isso, me impressiono com os filhos dessa leva de peters pan e cinderelas: jovens de 16, 20 anos obrigados a crescer pela incapacidade dos pais em amadurecer. É uma geração que, talvez, no futuro queira arriscar, brincar e sentir mais prazer. Talvez consigam quando seus filhos estiverem crescidos. Talvez não, talvez já estejam por demais engessados para liberar alguma leveza.

O fato é que é lamentável ver pseudo-crescidos comportando-se como se não houvesse amanhã. O desespero em não adultecer transforma mulheres e homens em travestis de pessoas, aquela coisa caricata que finge ser o que não é. Essas pessoas consomem desvairadamente, fumam, bebem, são carentes ao extremo de serem promíscuas. A ala feminina faz filho ou fica doente. A masculina faz filho, não dá conta e nem quer.

O resultado é esse mundo esquisito e sem valor que vem assustando gente do bem. A notícia boa é que gente do bem é teimosa e geralmente não desiste de fazer o trabalho de formiguinha que demora a surtir efeito. Mas que um dia há de dar. Há de dar.

2 comentários:

Augusto Branco disse...

Vim tietar aqui. Não resisto em dizer: sou fã desta mulher!;D

E não, não vou tecer nenhum comentário mais profundo,não, que tiete não faz comentários profundos, tiete só ama e ama e sai espalhando pra todo mundo!;D

Um beijo bem grandão pra você, minha princesinha Acácia. É muito bom ler tudo o que você escreve!

Planeta M (Marlene) disse...

Através da Rede Social Facebook descobri o seu Blogue.
Li este post e fiquei impressionada com as mensagens que transmite e a forma como o faz. Adoro o malabarismo que faz com as palavras sem nunca lhes retirar o valor e brilho. Voltarei dado que a partir de hoje serei sua seguidora.

Até um dia destes.
Planeta M (Outra Bloguista que gosta do trocadilho entre palavras)