sexta-feira, 10 de junho de 2011

Falando de homens



Falar de homens e mulheres é coisa pra quem pode, para quem tem experiência generosa e refinada sobre a arte de relacionar-se. Dizem que o texto abaixo é da Fernanda Montenegro, de quem sou fã. Mesmo que não seja, é muito bom, vale a pena ler:

Minha amiga, se você acha que Homem dá muito trabalho, case-se com uma Mulher e aí você vai ver o que é mau humor!


O modo de vida, os novos costumes e o desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está o macho da espécie humana.

Tive apenas 1 exemplar em casa, que mantive com muito zelo e dedicação num casamento que durou 56 anos de muito amor e companheirismo, (1952-2008) mas, na verdade acredito que era ele quem também me mantinha firme no relacionamento. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha ‘Salvem os Homens!’

Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da masculinidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:

1. Habitat

Homem não pode ser mantido em cativeiro. Se for engaiolado, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que os prenda e os que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse ou a propriedade de um homem, o que vai prendê-lo a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente, com dedicação, atenção, carinho e amor.

2. Alimentação correta

Ninguém vive de vento. Homem vive de carinho, comida e bebida. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ele não receber de você vai pegar de outra. Beijos matinais e um ‘eu te amo’ no café da manhã os mantêm viçosos, felizes e realizados durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não o deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial. Portanto não se faça de dondoca preguiçosa e fresca. Homem não gosta disso. Ele precisa de companheira autêntica, forte e resolutiva.

3. Carinho

Também faz parte de seu cardápio – homem mal tratado fica vulnerável a rapidamente interessar-se na rua por quem o trata melhor. Se você quer ter a fidelidade e dedicação de um companheiro completo, trate-o muito bem, caso contrário outra o fará e você só saberá quando não houver mais volta.

4. Respeite a natureza

Você não suporta trabalho em casa? Amigos? Futebol? Pescaria? Jogos? Liberdade? Carros? Case-se com uma Mulher. Homens são folgados. Desarrumam tudo. São durões. Não gostam de telefones. Odeiam discutir a relação. Odeiam shoppings. Mercado então, nem se fala… Enfim, se quiser viver com um homem, prepare-se para isso.

5. Não anule sua origem

O homem sempre foi o macho provedor da família, portanto é típico valorizar negócios, trabalho, dinheiro, finanças, investimentos, empreendimentos. Entenda tudo isso e apóie. A maior beneficiária disso é você!

6. Cérebro masculino não é um mito

Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente não possuem! Também, 7 bilhões de neurônios a menos!). Então, agüente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar amigos gays e homossexuais delicados, tente se relacionar com um homem de verdade. Alguns vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você.

Não fuja desses, aprenda com eles e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com as mulheres, a inteligência não funciona como repelente para os homens.

E por fim… Não faça sombra sobre ele… Se você quiser ser uma grande mulher tenha um grande homem ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ele brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ele estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda. Aceite: homens também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar.

A mulher sábia alimenta os potenciais do parceiro e os utiliza para motivar os próprios. Ela sabe que, preservando e cultivando o seu homem, ela estará salvando a si mesma.

E minha Amiga, se Você acha que Homem dá muito trabalho, case-se com uma Mulher e aí Você vai ver o que é Mau Humor!

Só tem homem bom quem sabe fazê-lo ser bom!

Eu fiz a minha parte, por isso meu casamento foi muito bom e consegui fazer o Fernando muito feliz até o último momento de um enfisema que o levou de mim. Eu fui uma grande mulher ao lado dele, sempre.

Fonte: http://www.lardocelar.org/uma-mulher-inteligente-falando-dos-homens/

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Praticar a verdade, de verdade



Eu nunca fui uma pessoa de aceitar autoridade. Liderança, sim, pois parte do bom senso e da admiração, jamais da ditadura. Por causa disso, nunca me senti confortável com chefes ou pessoas que tentam se impor a qualquer preço. Não sigo determinações cegas, nem palavras sem lógica. Gosto de gente com conteúdo inteligente, que saiba argumentar com sabedoria. Sentimentalismos também não funcionam comigo.

A maioria das pessoas aceita certas coisas com mais facilidade. Eu não. A única coisa que aceito com facilidade é a verdade, todo o resto, se misturado a qualquer tipo de mentira, é muito difícil de engolir. Foi por causa dessa minha dificuldade que já afastei muita gente da minha vida. E muita coisa também.

Acredito que estamos vivendo uma era única na nossa sociedade e a tecnologia tem ajudado sobremaneira na mudança que pressinto ser definitiva: as pessoas comuns estão denunciando aquilo que consideram errado. E que ninguém me diga que "certo" e "errado" são subjetivos demais para serem definidos: todo mundo sabe, tem noção, do que é certo e errado.

Hoje mesmo vi pela TV as imagens de um pai chutando um filho caído no chão. O fulano vinha fazendo isso com frequência, impunimente, até que o filho mais velho tomou coragem e filmou pelo celular. Foi parar na Rede Globo. Pois é, anos de violência interrompidos por um gesto tão simples.

Até outro dia, as corrupções políticas eram denunciadas por outro político corrupto que certamente não tinha conseguido atingir um objetivo qualquer. Chantagem que ia parar na mídia, pra logo depois desaparecer, esquecida no meio de tantas outras. Agora, quem começa a denunciar é o povo, com a tal câmerazinha do celular, põe lá no "Youtubiu" pra todo mundo ver. Foi assim que a professorazinha lá do Rio Grande do Norte ganhou nome e voz, e, também, foi parar na Rede Globo. O Sarneyzão teve que voltar atrás no sumiço do impecheament do Collor na "histórica" galeria do planalto. Obra de quem? De alguém que falou.

Um amigo, religioso que só, católico do tipo que a família vai à missa todo domingo e participa das obras da igreja, veio me contar que tinha abandonado tudo aquilo. Motivo? Máfia nas relações com o dinheiro e com o poder. Ele se desiludiu, se afastou. Apesar de não ser católica, eu disse a ele que, se ele pretendia mudar alguma coisa, tinha que estar lá, presente. Foi aí que ele me disse: os corretos são mais fracos porque são poucos. Verdade. Trinta pessoas dizendo que não é bem assim, que você está exagerando e você pensa que está mesmo. E se retira.

Quem vive nesse mundo sabe que precisa lidar com politicagens. E como eu disse lá no comecinho, eu não aprendi direito essa parte. Sendo assim, eu tenho feito um esforço genuíno para lidar com essas situações em que nem os próprios envolvidos percebem que estão enganando: para a maioria desses "pequenos políticos diários", enganar é uma questão de sobrevivência. Tudo por uma pequena posição, um palco, mínimo que seja.

Até onde deveria imperar o bom mocismo há mentira. Órgãos que "ajudam" os mais pobres, ONG's sem fins lucrativos, religiões: onde há a chama do poder ilusório humano, há ganância, "jeitinhos", interesses, confabulações escusas. O que fazer, então? É possível lutar sozinho? É possível confiar que haja mais alguém inteiramente ciente do certo para formar um grupo, nem que seja de dois? Tenho fé que sim. Nossa história tem exemplos belíssimos de pessoas que ajudaram a romper a escuridão de uma era.

E não é pretensão querer ser um deles, pois todos foram também pessoas comuns com um desenho nítido na alma: eram incansáveis. Nós temos sorte, o maior caminho eles já fizeram. As maiores barbaridades já foram apresentadas ao mundo, ninguém mais tem a ilusão de que o homem é o bom selvagem de Rousseau. Ninguém mais tem vergonha de se apresentar como traído, enganado, desde que possa provar que há, em algum momento, uma justiça que não é a humana.

Foi assim que conclui a conversa que tive com uma grande amiga hoje: é preciso falar, falar para quem quiser ouvir. Não importa se muitos se fingirão de surdos. O importante é que os corretos ouçam e formem coro. Uma hora, uma casa cai. Até quem comandou um povo com algemas por décadas caiu, por que, por que não acreditar que é possível vencer comportamentos que já deixaram de ser duvidosos para estamparem que são corruptos?

Bora limpar a garganta e fazer bom uso da palavra: calar é o mesmo que concordar, ser sócio do erro.